quarta-feira, 7 de março de 2012

Qual comprar: MacBook Pro ou MacBook Air?

Na hora de escolher seu computador portátil da Apple, qual comprar? O leve MacBook Air ou o poderoso MacBook Pro? Vamos discorrer sobre o assunto para ajudá-lo nessa difícil escolha.
Tecnologias mudam, e logo o que temos na mão, comprado com dinheiro suado, está obsoleto. Demorou até comprarmos um desktop, e de repente lá estava o notebook. Quando finalmente conseguimos um desses, chegou o tablet, o smartphone, o console portátil… não dá para ter tudo.
O importante em possuir um gadget é que ele possa resolver seus problemas do dia a dia: quebrar galhos, trabalhar, marcar uma viagem com os amigos ou apenas navegar na Internet. A Apple possui poucos modelos de notebook, mas os que possui já são suficientes para gerar dúvidas.
Design
Não tem o que decidir nesse quesito, os dois são muito bonitos. Ambos possuem corpo em alumínio e são unibody, ou seja, formados de uma peça única de alumínio. O teclado é preto, no estilo chiclete, e retroiluminado.
MacBook Air (Foto: Divulgação)MacBook Air (Foto: Divulgação)
Quanto ao peso, o MacBook Air se destaca por ter um modelo de 11 polegadas que pesa apenas 1,08 kg, algo próximo ao que pesam alguns tablets, como o EEE Pad Transformer, por exemplo. Já o Pro de 17 polegadas chega aos 2,54 kg, um monstrinho pesado. Até mesmo o modelo menor, de 13 polegadas, passa dos 2 kg, pouco portátil para um notebook.
Praticidade
Não é possível trocar sozinho a bateria do Air. O processo de montagem deste notebook impede que ele seja aberto para que qualquer componente seja substituído sem uma visita a uma assistência técnica. Não que a bateria seja algum importante para todos, pois muitos trocam de máquina antes mesmo que a bateria peça "arrego", mas não é só isso que não pode ser mexido no Air.
O HD, que na verdade é um SSD (Solid State Drive, a mesma tecnologia utilizada em pen drives, também conhecida como memória flash), não pode ser aumentado em casa. A única opção, neste caso, é escolher um armazenamento maior logo na hora da compra. Mas já avisamos: SSD é bem mais caro do que um HD normal e, por isso, um simples espaço de 256 GB é extremamente caro.
Também não é possível mexer na memória RAM, um componente que boa parte dos usuários gosta de mexer e fazer um upgrade. E, nesse caso, nem levando a uma assistência técnica, pois a memória é soldada na placa.
MacBook Pro (Foto: Divulgação)MacBook Pro (Foto: Divulgação)
Com o MacBook Pro você tem maiores chances de upgrade, já que é possível comprar uma bateria nova ou memória RAM, e trocar com facilidade. Entretanto, se você é alguém que carrega seu notebook para lá e para cá, às vezes até mesmo em situações mais adversas, fique sabendo que o SSD é mais seguro contra quedas e chacoalhões do que o disco rígido comum.
Em matéria de praticidade, o Air ganha disparado em portabilidade e mobilidade. Como é praticamente um iPad com teclado embutido, ele é pequeno, fino e leve, podendo facilmente ser levado em uma mochila ou bolsa. Ele liga rápido, está sempre pronto para uso e tem todo o sistema OS X dentro dele.
Sistema e performance
O sistema dos dois é o mesmo, não há diferença aqui. A versão atual do sistema OS X, o 10.7 Lion, não é mais vendida em DVD, apenas via download ou pen drive, então pode ser instalada tanto no Air como no Pro. Porém, se você ainda não quer passar para o leão e prefere continuar com o 10.6 Snow Leopard ou anteriores, vai precisar de um drive externo para instalar tudo, pois o Air não possui leitor de discos óticos.
E quando o assunto é rapidez, o Air deixa o Pro para trás. Graças ao mesmo seguro e caríssimo SSD, tudo é mais rápido nele. O boot, a abertura de aplicativos e tantas outras funções são mais velozes porque o SSD não processa os dados de forma física como o disco rígido, que precisa passar agulhas por um disco para funcionar.
MacBook Air (Foto: Divulgação)MacBook Air (Foto: Divulgação)
Ou seja, você pode perfeitamente instalar e trabalhar com um Photoshop, Illustrator ou InDesign. Outros programas pesados também rodam sem problemas, como todo o pacote iLife. Ele pode só engasgar um pouco, já que ele aguenta apenas 4 GB de RAM. A placa de vídeo do Pro também é superior, uma vez que ele é direcionado para o uso mais pesado.
Ambos possuem a série iX de processadores da Intel, mas, enquanto o Air só chega aos 1,7 GHz com o i5, o Pro pode vir com processador de até 2,8 GHz com o i7. A bateria, dependendo do modelo, tem processa durar até 5 ou 7 horas.
Conexões
O MacBook Pro tem mais conexões do que o Air. Profissionais de vídeo e outros que lidam com grandes arquivos e becapes precisarão pensar a respeito, pois não há porta Firewire no Air. Essa porta permite conexões e transferências mais rápidas, e por isso é utilizada em discos externos e também em algumas câmeras de vídeo. Entrada de áudio também apenas no Pro, e a partir de 15 polegadas. O Air, por outro lado, possui um microfone embutido.
MacBook Air
MacBook Air (Foto: Divulgação)Conexões do MacBook Air (Foto: Divulgação)
Ethernet é outro ponto em questão. Para ligar seu Air em uma rede Ethernet e navegar pela Internet via cabo, é preciso comprar um adaptador USB, que, além de ser pouco prático, ainda tira uma das suas portas USB para uso de outros periféricos. Mas, como o objetivo do Air é justamente a mobilidade, não dá para imaginar que seu usuário vá precisar de uma conexão a cabo, e sim que utilize apenas o Wi-Fi.
Disco ótico não é bem uma conexão, mas também só é encontrado no Pro. Steve Jobs estava com vontade de matar mais um tipo de armazenamento – depois do disquete, zip e tantos outros – e resolveu eliminar o leitor de DVDs e CDs do Air. Como tudo hoje em dia caminha para o armazenamento na Internet – a conhecida nuvem, que Jobs já aproveitou com o iCloud –, espera-se que, em um futuro próximo (se é que já não chegou), não seja mais necessário utilizar mídias físicas para armazenamento. E assim morreu o DVD.
Fora isso, ambos possuem as mesmas duas portas USB 2.0, a nova e poderosa Thunderbolt, leitor de cartões – este, no Air, só aparece no modelo de 13 polegadas –, MagSafe e fone de ouvido. Apenas a versão de 17 polegadas é diferente, com três portas USB e uma entrada ExpressCard.
Tela
Mais versátil, as telas do Pro são de 13,3, 15,4 ou 17 polegadas, retroiluminadas por LED. O Air possui apenas duas escolhas: ou 11 ou 13 polegadas.
MacBook Pro (Foto: Divulgação)As diferentes telas do MacBook Pro (Foto: Divulgação)
Quem precisa de uma telona, pode escolher o de 17. Já os que preferem a mobilidade gostarão da simpática telinha de apenas 11 polegadas. E, de acordo com testes, a tela do Air é mais brilhante do que a do Pro, embora designers afirmem que a moldura preta ao redor da tela do Pro ajude na hora de trabalhar
Conclusão
Deu para perceber que aqui o que mais vale é seu uso. Steve Jobs e a Apple limaram do Air tudo o que um usuário de Internet nômade não precisaria em suas jornadas. É o portátil ideal para quem ainda quer um sistema mais complexo do que o iOS, necessita de um bom teclado e quer leveza e praticidade.
MacBook Pro (Foto: Divulgação)MacBook Pro (Foto: Divulgação)
O Pro é para quem trabalha no portátil, e por isso seu nome. Se você é um profissional de vídeo, ou possui seu becape todo em discos, não dá para pensar no Air. Para profissionais, o Pro também é bom porque permite upgrades no hardware, coisa que o usuário padrão de Air nem vai se importar, pois seu processamento poderoso é mais do que suficiente para o que ele usa.
O preço médio do melhor Air é similar ao valor do MacBook Pro mais simples, que ainda tem mais desempenho do que o primeiro. Por isso, vai da sua necessidade saber qual o melhor para você.

Fonte: Site Rede Globo- Tecnologia, TechTudo

































Nenhum comentário:

Postar um comentário